Entender que cada resíduo que geramos tem seu lugar correto ajuda não somente aos recicladores e cooperativas, mas principalmente o meio ambiente!

Destinação correta de resíduos é um desafio para empresas
Você sabe como dar um final adequado ao lixo que a sua companhia gera?

Todos os dias, ouvimos falar de reciclagem ou sobre jogar o lixo no local correto. Mas será que realmente sabemos qual é a destinação adequada para os resíduos do nosso dia a dia? Neste artigo, vamos explicar o que são os resíduos sólidos, isto é, quais as diferenças entre eles, de onde eles vêm, e qual é o melhor tipo de destinação que cada resíduo deles deve ter para minimizar impactos ambientais.

 

  1. O que são resíduos sólidos?
  2. Principais classificações de resíduos
  3. Qual é a destinação correta para cada tipo de resíduo?
  4. Tecnologia e gestão de resíduos

 

  1. O que são resíduos sólidos?

Resíduos sólidos são restos de atividades humanas, e esses materiais que podem apresentar diversas características. De acordo com a Lei n°12.305/2010, conhecida como Política Nacional de Resíduos Sólidos, tornou-se obrigatória a responsabilidade das grandes empresas geradoras sobre os resíduos gerados durante suas atividades econômicas. As empresas que não cumprirem a lei ou que causarem danos ambientais, podem ser penalizadas. Já em casos de crimes ambientais com ou sem intenção, a empresa deve recuperar o dano causado. (Para saber mais na íntegra clique aqui). 

Com isso, muitas indústrias, fábricas, comércios, e outros setores do mercado precisam adequar-se à lei, buscando o tratamento desses materiais, a destinação correta e também a redução da produção do lixo. Na hora de coletar esse lixo, existem duas possibilidades: a forma indiferenciada ou seletiva. Indiferenciada é quando não há qualquer tipo de seleção durante a coleta. Já na seletiva, os resíduos recolhidos são separados de acordo com seu tipo e destinação. De acordo com a PNRS, a coleta seletiva é um dever do município.

 

  1. Principais classificações de resíduos

 Os resíduos sólidos podem ser classificados por:

  • Material reciclável: Estes materiais são passíveis de reciclagem, ou seja, através de transformações físicas e químicas, podem voltar ao início do processo produtivo como matéria-prima. Alguns exemplos são vidros, papéis, plásticos, alumínios, entulhos, pneus, papelão e isopor. 
  • Material orgânico: Esse tipo de matéria pode ter diversas origens resultando de seres vivos. Degradam-se espontaneamente no meio ambiente, seguindo os processos naturais. Porém, quando exposta ao ambiente ou não armazenados de forma correta, podem causar sérios problemas ambientais.
  • Resíduo perigoso: Enquadram-se nessa classificação resíduos que podem apresentar problemas para o meio ambiente ou para a saúde humana, seja por apresentarem substâncias tóxicas, inflamáveis ou radioativas.

 

Qual a destinação adequada para cada tipo de resíduo?

De acordo com sua especificidade, o resíduo necessita de uma destinação correta para que cause o menor impacto negativo possível ao meio ambiente. Veja algumas possibilidades de destinação:

  • Reciclagem: Transforma os materiais usados, como vidros, metais, papéis, plástico e isopor, em matéria-prima novamente, tornando-os reutilizáveis dentro do processo produtivo.
  • Incineração: É o processo onde queima-se o lixo em grandes fornos. Essa alternativa é dada a resíduos hospitalares, por exemplo. O custo do processo é bastante alto e também poluente, pois emite gases tóxicos e de efeito estufa (GEE).
  •  Compostagem: O material orgânico presente no lixo é levado para uma usina onde será transformado em um composto químico. Este, por sua vez, poderá ser agricultura, melhorando as qualidades químicas e biológicas do solo. É comum encontrar composteiras caseiras e comunitárias e essas, tem um grande potencial em diminuir a quantidade de lixo que vai parar em aterros.
  • Logística Reversa: É o processo em que o resíduo retorna ao seu produtor inicial. Isso acontece com o lixo perigoso e o tecnológico por exemplo. As indústrias vão até os pontos de coleta e retiram esses materiais. Logística reversa é obrigação de quem gera alguns tipos de resíduo.
  • Aterros Sanitários: São os locais onde se depositam os rejeitos, tudo aquilo que não pode ser reciclado ou reaproveitado de alguma forma. O solo é impermeabilizado, o lixo fica isolado e há toda uma estrutura por dentro e por fora, com o objetivo de minimizar os impactos ambientais.
  • Aterros Controlados: É uma técnica de disposição de resíduos sólidos urbanos no solo, sem causar danos ou os impactos ambientais. Neste caso, não há impermeabilização de base que comprometa a qualidade do solo e das águas subterrâneas. Porém, também não há um sistema eficaz de tratamento de chorume e água de infiltração, ou extração e queima dos gases gerados.

Devido à complexidade dos processos, as empresas acabam terceirizando o serviço de gestão dos resíduos sólidos. Isso garante que o trabalho de coleta, transporte e descarte dos resíduos seja feito de forma segura e adequada. 

 

Tecnologia e gestão de resíduos

Nós da Plataforma Verde, facilitamos para que as grandes empresas geradoras entendam o que acontece em cada passo de seus processos produtivos, inclusive dentro do gerenciamento de resíduos. Nosso software compartilha dados entre quem gera, quem transporta e quem destina esses resíduos. Esses dados podem ser visualizados online em tempo real. A PV gera relatórios de gestão, automáticos, que auxiliam na melhora dos processos. Também é possível rastrear e ter acesso aos dados do que foi entregue ao transportador e o seu destino final, tudo documentado e protegido via blockchain.

Quer entender como podemos ajudar a sua empresa a melhorar sua destinação? Entre em contato no [email protected]r ou entre em nosso site!